Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um transtorno mental e do comportamento que surge na infância e, em alguns casos, perdura durante a adolescência e até mesmo durante a idade adulta. O TDAH é caracterizado pela combinação de sintomas de desatenção aos de hiperatividade e impulsividade. Durante a infância, os portadores de TDAH são tidos como desatentos ou muito agitados (geralmente os meninos apresentam mais sintomas de hiperatividade que as meninas).

Um portador de TDAH freqüentemente pode ter dificuldade a prestar atenção a detalhes, cometer erros por descuidos em seus deveres e tarefas, ter dificuldade em manter a atenção em atividades educacionais, laborativas ou de lazer; parecer não estar ouvindo quando alguém está falando diretamente com ele, não seguir instruções até o fim e não concluir tarefas escolares ou obrigações, ter dificuldades de organização, não se envolver em tarefas que exijam esforço mental prolongado, perder objetos necessários às suas atividades, distrair-se com estímulos externos, não conseguir ficar parado em uma cadeira ou escrivaninha, sair do lugar em situações em que se espera que fique sentado, ter dificuldade para brincar de maneira calma, falar em demasia, responder a perguntas precipitadamente, antes que tenham completamente enunciadas, ter dificuldade para esperar sua vez e interromper os outros com freqüência. Para que um indivíduo seja considerado portador de TDAH, é necessário que estes sintomas estejam presentes desde cedo em sua vida e causem prejuízos em diversos aspectos de sua vida (familiar, escolar, social).

Boa parte dos pacientes atinge a remissão dos sintomas ao longo da vida. Alguns podem apresentar sintomas durante a adolescência e a idade adulta, porém geralmente há uma mudança no perfil, predominando os sintomas de desatenção.

O tratamento do TDAH é realizado com uma combinação de medicamentos, orientações aos pais e professores e técnicas específicas de psicoterapia, como a terapia cognitivo-comportamental.